Craque da Rodada

Craque da Rodada

Brasileirão 2012

Carregando tabela do Brasileirão...

Acompanhe o Campeonato Brasileiro no Brasileirão.org

Gosta de Gallo?

sábado, 18 de agosto de 2012

Em jogo que foi um verdadeiro teste para cardíaco o Náutico  com golaço de Martinez  vence o Bahia por 1 a 0 diante de pouco mais de 14.300 torcedores.

O JOGO

O Náutico entrou em campo com 5 desfalques, dentre eles peças chave como Kieza e Souza e com estreias de Dadá e Rogerinho.

O jogo em si foi feio, truncado e encardido sem muitos lances de perigo.  O Náutico chegou mais próximos do gol em duas oportunidades com Rhayner, mas nada que fosse de muito perigo. O Bahia pouco chutava e levava perigo mais nas jogadas criadas com Souza. Sem muitas outras emoções o jogo terminou o primeiro tempo empatado por 0 a 0.


Na volta do segundo tempo o Náutico voltou com o mesmo time que saiu já o Bahia realizou mudanças para tentar deixar o time mais ofensivo e com maior volume de jogo. As mudanças do Bahia funcionaram e o time passou a gostar do jogo e logo com 2 minutos de jogo numa cobrança de escanteio obrigou Gideão a realizar uma grande defesa a queima roupa. O Náutico segurou a pressão inicial do Bahia e procurou cadenciar mais a partida, mas esbarrava  na falta de pontaria do setor ofensivo e nas mãos de Marcelo Lomba. O Náutico realizou duas mudanças na tentativa de deixar o time mais ofensivo e tentar acertar mais na pontaria, saíram Rogerinho e Kim para a entrada de Rico e Lúcio. Nada que surtisse muito efeito já que os jogadores tiveram atuações bem ruins, não se encontrando no jogo, com o passar do tempo e a pressão da torcida pelo gol o técnico Gallo mudou mais uma vez pondo João Paulo no lugar de Douglas Santos. O Bahia também mudou pondo Lulinha no lugar de Hélder e pondo o time para cima. Mas ai aos 43 minutos brilhou a estrela de um craque, Martinez, que no inicio de jogo chegou a preocupar, pois sentia dores no quadril e recebeu a bola no meio campo avançou até a entrada da grande área e deu um chutaço, marcando um gol lindo. Estava anotado aos 43 minutos do segundo tempo, Náutico 1x0 Bahia. Daí para frente foi só administrar o jogo seguiu até os 48 quando o árbitro encerrou a partida.

Golaço de Martinez

ANÁLISE DO JOGO

Partida tecnicamente feia, onde brilhou a estrela de um craque MARTINEZ. Destaque para as boas estreias de Dadá e Rogerinho que mesmo sem entrosamento não deixaram a desejar. Destaque também para Gideão que fez mais uma partida muito boa e garantiu a invencibilidade do placar alvirrubro. Lúcio e Rico foram às decepções, assistindo ao jogo hoje deu para perceber o porquê deles não serem titulares. No mais o time esta de parabéns pela vitória, agora é focar no clássico de domingo, buscar a terceira vitória seguida e subir cada vez mais na tabela rumo a Sul-americana.

Ficha do jogo

Náutico

Gideão; Alessandro, Marlon, Jean Rolt e Douglas Santos (João Paulo); Dadá, Martinez, Rogerinho (Lúcio) e Rayner; Kim (Rico) e Araújo. Técnico: Alexandre Gallo

Bahia
Marcelo Lomba; Neto, Titi, Danny Morais e Hélder (Lulinha); Fabinho (Diones), Victor, Fahel e Mancini (Ciro); Gabriel e Souza. Técnico: Caio Júnior

Estádio: Aflitos. Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro (FIFA-MG). Assistentes: Janette Mara Arcanjo (FIFA-MG) e Marcus Vinícius Gomes (MG). Gol: Martinez. Cartões amarelos: Hélder, Gabriel, Diones, Mancini (BA), Kim, Marlon, Dadá,
Martinez (N). Público: 14.358. Renda: R$ 244.550.


quinta-feira, 16 de agosto de 2012


O Náutico entrou e campo ontem contra a equipe do São Paulo, buscando a vitória para iniciar bem a sequencia de jogos em Recife e se afastar ainda mais do Z-4 e mirar a Sul-americana. E ontem definitivamente o Náutico mostrou um futebol de série A.

O JOGO

A partida começou movimentada e nos 5 minutos iniciais o São Paulo tocava a bola e chutou  a gol onde Gideão fez fácil defesa. O Náutico com uma marcação eficiente e jogando com velocidade nos contra-ataques passou a impor o seu jogo diante do São Paulo e logo no inicio do jogo Araújo perde chance de cara após rebote de Rogério Ceni. Kieza também deu um chute a gol. E depois de tanto insistir o gol saiu aos 12 minutos em bola rebatida, Kieza chuta e a bola bate na mão de Rafael Toloi e o árbitro marcou pênalti. Kieza foi para cobrança e com categoria mandou para o fundo das redes, fazendo Náutico 1 a 0. E aos 28 Araújo enfiou para Rhayner que deixou o marcador no chão e avançou para pequena área bateu no gol, mas Rogério fez boa defesa dando rebote e Araújo Samurai não desperdiçou chutou no fundo do gol fazendo Náutico 2 a 0. O São Paulo foi para cima, mas de nada adiantou o Náutico continuou senhor do jogo e teve mais chances de fazer o terceiro do que levar o primeiro. Souza em noite inspirada cobrou boas faltas obrigando Rogério Ceni a fazer boas defesas e nesse ritmo de pressão alvirrubra que o primeiro tempo se encerrou.


O segundo tempo começou movimentado e todos esperavam que o São Paulo fosse partir ao ataque buscando diminuir o placar, mas não foi oque aconteceu. O Náutico continuou com ritmo forte muito veloz nos contra-ataques e não deu espaço para o São Paulo.  E logo aos 16 minutos ampliou o placar num lance nada convencional em falha grotesca de Rogério Ceni que após cobrança de escanteio de Souza saio pra afastar de soco à bola, porém betu mal e a bola foi para traz e acabou caindo dentro do gol tricolor, decretando Náutico 3 a 0. E a pressão continuou, mesmo vencendo por 3 a 0 o Náutico continuou dominando o jogo e partindo bem nos contra-ataques a marcação paulista estava perdida em campo e a melhor chance do São Paulo foi numa cobrança perigosa de falta de Rogério Ceni. Com o placar definido o Náutico continuou pressionando e administrando o jogo até o apito final e aos 49 o árbitro encerrou o jogo.


ANÁLISE DO JOGO

 Partida impecável time foi muito bem, jogou de forma tática com muita categoria, velocidade, marcação e força ofensiva. O time foi guerreiro teve muita raça e jogou num coletivo extraordinário. Souza, Araújo, Rhayner e Martinez jogaram uma barbaridade, mas de forma geral todo time atuou bem. Não houve falhas na zaga o ataque foi certeiro e não teve vida fácil para o São Paulo. Agora é focar no jogo contra o Bahia no próximo sábado e mesmo sabendo que não teremos Souza, Ronaldo Alves e Kieza sabemos que temo reservas a altura, e o bom é que jogaremos o clássico com força total.  


Ficha do jogo
Náutico

Gideão; Patric, Marlon, Ronaldo Alves (Jean Rolt) e Douglas Santos (Lúcio); Elicarlos (Ramirez), Martinez, Souza e Rhayner; Araújo e Kieza. Técnico: Alexandre Gallo

São Paulo

Rogério Ceni; João Felipe (Casemiro), Rafael Toloi e Rodolfo; Douglas (Paulo Assunção), Denilson, Maicon, Jadson (William José) e Cortês; Cícero e Ademilson. Técnico: Ney Franco

Estádio: Aflitos. Árbitro: José de Caldas Souza (TO). Assistentes: Carlos Emanuel Manzolillo (TO) e Lúcio da Silva de Matos (PA). Gols: Kieza, Araújo, Rogério Ceni (contra). Cartões amarelos: João Felipe, Douglas, Cortês (SP), Kieza, Ronaldo Alves, Souza, Ramirez (N). Público: 14.022. Renda: R$ 233.450.
domingo, 12 de agosto de 2012

Numa noite onde mais uma vez o Náutico joga bem, mas as falhas individuais da defesa entregam o jogo Náutico saio do Rio de Janeiro com mais uma derrota nas costas. Arbitragem também deixou muito a desejar na partida.

O JOGO
O jogo começou movimentado e o Náutico foi pra cima, chegando a dar trabalho ao goleiro Felipe e conseguindo alguns escanteios. Porém o Flamengo começou a gostar do jogo e o Náutico a dar brechas para o time rubro-negro e ai aos 14 minutos numa jogada onde houve falta de Love em Ronaldo Alves (não marcada pelo árbitro) e falha de Marlon Vágner Love abre o placar para o Fla. O primeiro tempo seguiu assim jogo movimentado, Náutico buscando o ataque e o Flamengo também, tanto que Felipe e Gideão fizeram defesas difíceis. Mas no finzinho do primeiro tempo,  aos 43 mais uma falha bisonha da defesa alvirrubra com Ronaldo Alves que tinha a bola dominada na área e foi afastar fazendo graça e perdeu para Love que recuperou passou por Marlon tirou gideão e chutou na trave, mas no rebote mandou pro gol, estava anotado Flamengo 2x0 Náutico.


O segundo tempo o Náutico veio pro tudo ou nada, assumiu postura mais ofensiva com a entrada de Kim e partiu pro jogo, teve algumas boas chances com Rhayner e Kim, Kieza também chegou a desperdiçar, aos 35 Welinton escorrega e entrega a bola nos pés de Kim que só tinha o goleiro pela frente, mas chutou para fora. Antes disso Felipe já havia feito boa defesa num chute em chute de Kim. O Náutico seguiu esbarrando na defesa carioca e na falta de pontaria do ataque até mesmo com as entradas de Lúcio e Rico o time pouco  produziu e aos 48 o árbitro que teve uma péssima atuação, prejudicando o Náutico em muitos lances encerrou o jogo.


ANÁLISE DO JOGO

Foi mais uma boa partida do Náutico, ficou nítida a falta que Martinez faz e que Cléverson não tem condições de ser meia no Náutico. A zaga jogou miseravelmente falhando nos gols e entregando o jogo a um Flamengo que se resume e Felipe Cáceres e Vágner Love. Boa atuação de Araújo que no segundo tempo ao lado de Kim, que também fez boa partida foram ofensivos. Gallo mais uma vez escalou mal o time e pecamos pelas falhas de nossa zaga.

Agora é esquecer esse jogo e pensar que temos  4 jogo em Recife seguidos e 3 em casa, somar no mínimo 9 pontos é essencial.

FlamengoFelipe; Wellington Silva (Ibson), Marcos González, Welinton e Ramon; Víctor Cáceres, Luiz Antônio, Renato e Negueba (Bottinelli); Thomás (Liedson) e Vágner Love. Técnico: Dorival Júnior.

Náutico
Gideão; Patric, Marlon, Ronaldo Alves e Douglas Santos (Lúcio); Elicarlos, Souza, Cleverson (Kim) e Rhayner (Rico); Araújo e Kieza. Técnico: Alexandre Gallo.

Estádio: Raulino de Oliveira (Volta Redonda-RJ).
Árbitro: Jean Pierre Gonçalves Lima (RS).
Assistentes: Cristhian Passos Sorence (Asp Fifa-GO) e Marcelo Bertanha Barison (RS).
Gols: Vágner Love (2) (F).
Cartões amarelos: Wellington Silva, Negueba, Marcos González (F), Marlon, Rhayner e Souza (N).
Público: 9.308.
sábado, 11 de agosto de 2012

O jogador rescindiu contrato com o Ceará e acertou com o Náutico para a disputa da série A do brasileiro. O novo reforço deve desembarcar no Recife nesta segunda-feira. É a primeira contratação efetiva para o setor de armação do Náutico neste campeonato. Confira o histórico de Rogerinho.

ROGÉRIO MIRANDA SILVA

NATURAL: PARAGOMINAS-PA

NASCIMENTO: 24 DE DEZEMBRO DE 1984

CARREIRA: O jogador foi revelado pelo Remo. Já defendeu o Figueirense, Paysandu e Fortaleza. Ao se destacar no tricolor cearense, despertou interesse do futebol árabe. Do AK WASL do Emirados Árabes Unidos Rogerinho foi emprestado para o Bahia. Mais uma boa temporada e o meia atacante se transferiu para o futebol japonês, onde atuou pelo Vissel Kobe. O jogador ainda teve passagem pela Ponte Preta. No Ceará, Rogerinho ganhou o título de melhor meia do campeonato estadual desta temporada.

Fonte: Nautico-pe
quinta-feira, 9 de agosto de 2012



O Náutico foi até Porto Alegre para enfrentar a forte equipe do Internacional, diante de um bom publico. E mesmo num jogo duro e marcado por uma arbitragem polemica o Náutico saio de lá com 1 ponto na bagagem, resultado muito bom mas que poderia ter sido bem melhor.

O JOGO

O Náutico entrou em campo com a formação semelhante ado ultimo, com a mudança apenas da zaga, como Ronaldo Alves não pode jogar por ter recebido o  terceiro amarelo e também, por ter uma cláusula contratual que o impede de enfrentar o Inter,  e Alemão cumpriu muito bem o seu papel no lugar de Ronaldo e mesmo sem ter tido tempo de treinar com Marlon fez uma partida e tanto. O jogo começou movimentado e com o Náutico em cima nos minutos iniciais, sem conseguir acertar os passes e errados nas finalizações. O Inter logo começou a reação, foi para cima e passou a dominar a posse de bola e subir perigosamente ao ataque, porém sempre esbarrando na defesa alvirrubra aos 17 Fred deu um bom chute e Gideão fez boa defesa, antes disso Souza viu Muriel adiantado e tentou cobri-lo, mas a bola foi por cima da meta. O jogo seguiu movimentado o Náutico recuou e optou pelos contra-ataques e sem muitas chances de perigo o jogo encaminhou para o intervalo empatado.


No segundo tempo o Náutico voltou igual, mas o Inter mexeu para ser mais ofensivo, pressionado pelos torcedores e vendo seu ataque não render frutos, o técnico colorado Fernandão resolveu deixar o time ofensivo. O Náutico continuou jogando no contra-ataque e com um sistema defensivo muito bem postado conseguiu segurar as investidas do colorado. E chegou até a marcar um gol com Araújo que, mas de maneira absurda o assistente invalidou marcando impedimento que não existiu. Forlán não estava numa noite inspirada e num vacilo dado por Rhayner perdeu uma boa bola. Jogo foi truncado sem chances de muito perigo, as duas equipes errando o toque de bola e as defesas não deixando passar nada, foi nesse ritmo que o jogo seguiu. Gallo tirou Araújo para por Kim e logo em seguida entraram Gustavo e Lúcio no lugar de Alemão e Douglas Santos, esse que pareceu nervoso e fez algumas jogadas erradas, mas nada que fosse fatal. Aos 31 kim teve oportunidade de chutar e mandou nas mãos de Muriel. Dai em diante coma proximidade do fim do jogo e considerando o empate como um ótimo resultado o Náutico recuou e buscou segurar a partida, tendo ainda algumas investidas ao ataque, porém sem êxito, o jogo assim seguiu até que o árbitro encerrasse o jogo em mais uma lace polemico, pois ainda faltavam alguns segundo para os 48 e o Náutico tinha um bom contra ataque para puxar.


ANÁLISE DA PARTIDA

Sem duvida um resultado excelente, tirar ponto de times fortes fora de casa é importantíssimo.  O time voltou a atuar bem, jogou de igual para igual com o Inter e não teve medo, soube administrar a partida e conter os ataques colorados, defesa muito bem no jogo, estreia de Alemão foi muito boa. Time jogou bem, destaques para Martinez que é muito craque e um jogador muito regular e para os zagueiros Marlon e Alemão que fizeram uma partidaça. Agora é foco no Flamengo e buscar mais ao menos 1 ponto no Rio.

FICHA TÉCNICA

Internacional 0
Muriel; Nei, Bolívar, Índio e Fabrício; Ygor, Guiñazu, Bolatti (João Paulo) e Fred; Jajá (Marcos Aurélio) e Diego Forlán (Rafael Pernão). Técnico: Fernandão.

Náutico 0
Gideão; Patric, Marlon, Alemão (Gustavo) e Douglas Santos (Lúcio); Elicarlos, Martinez, Souza e Rhayner; Kieza e Araújo (Kim). Técnico: Alexandre Gallo.

Estádio: Beira-Rio (em Porto Alegre-RS)
Árbitro: Ricardo Marques Ribeiro/MG
Assistentes: Guilherme Camilo e Marcus Vinícius Gomes, ambos de MG
Cartões amarelos: Alemão, Rhayner e Martinez (Náutico); Índio e Fabrício (Internacional)
Público: 11.500

terça-feira, 7 de agosto de 2012

O Náutico segue contratando para a disputa da série A, depois da chegada do lateral Patric e do zagueiro Alemão, o Náutico anunciou a contratação do zagueiro Alison de 28 anos ex Vitória, Bahia e ABC e do meia Vinícius Pacheco  de 26 anos ex Flamengo e estrela Vermelha da Sérvia.
Mas as contratações não param por ai, o Náutico ainda vai anunciar em breve mais 3 reforços sendo um lateral que jogue tanto na direita quanto na esquerda, um meia e um volante. Os nomes são mantidos em sigilo mas segundo Carlos Kila devem ser anunciados em breve.

segunda-feira, 6 de agosto de 2012



Numa noite iluminada e com mais de 12 mil torcedores o Náutico voltou a mostrar o bom futebol e atropelou o Santos nos Aflitos com direito a um golaço de Kim e gol de do artilheiro Kieza o quinto dele em cinco jogos.
Depois de três jogos e três derrotas sendo uma em casa de virada, o Náutico voltava aos Aflitos buscando a reabilitação diante de um Santos diferente do que se estava acostumado a ver, com os craques nas olimpíadas e muitos desfalques por lesão, o time santista liderado pelo benquisto Muricy Ramalho que mais uma vez foi homenageado pelo Náutico, recebendo um titulo de sócio patrimonial e uma camisa personalizada do clube, vinha  com a ideia que o empate seria bom resultado.

O JOGO

A partida começou movimentada e o Santos repleto de garotos, dominou os primeiros minutos, mas ainda assim não levou perigo ao Náutico, que teve um contra-ataque fortíssimo. Sempre que o Timbu subia para o ataque era perigo e o goleiro Aranha fez verdadeiros milagres em forte chute de Eli e em chute de Souza. Ainda no primeiro tempo o Náutico teve 2 gols anulados um de Araújo e o outro de Kieza, por impedimento mas, ambos de forma correta. Gideão fez poucas defesas e a zaga Timbu se mostrou segura durante a primeira etapa. Mesmo com o Náutico dominando quase que o primeiro tempo inteiro, graças a Aranha e a falta de pontaria dos alvirrubros as equipes foram para o intervalo empatado em 0 a 0.


No segundo tempo o inicio de jogo foi parecido com o primeiro o santos dominou o inicio de jogo, porém dessa vez com mais perigo e obrigou a defesa do Náutico a agir, e dessa vez ela foi eficiente. O Náutico seguia muito forte nos contra-ataques criados por Martinez, Araújo e Patric. Aos 14 minutos Araújo fez linda jogada deu um drible desconcertante nos zagueiros do peixe e chutou forte, Aranha defendeu, mas no rebote o estreante Patric deu um chutaço para o fundo das redes e abriu o placar para o Náutico 1 a 0.
A partir dai o Santos se mostrou mais ofensivo, Muricy escalou Miralles e o peixe foi para cima, mas sempre esbarrando na defesa ou em Gideão. Mas o atrevimento do peixe teve um custo alto. Os 35 minutos Kim recebe bola no meio campo, dribla a zaga inteira do Santos e sai de cara com Aranha e sem pena e com muita categoria bate por baixo do goleiro e faz um golaço, o gol da rodada segundo o globoesporte.com e anota no placar Náutico 2x0 Santos. Daí por diante foi mais fácil, o Santos ainda era ofensivo, partia para cima buscando seu primeiro gol fora de casa no campeonato. Mas uma vez o atrevimento do Santos custou caro e aos 46 minutos Araújo pega a bola no meio campo e enfia para Kieza que já passava a frente dos 3 marcadores santistas e de cara com Aranha chuta, o goleiro ainda toca na bola mas ele vai morres no fundo das redes é o quinto de Kieza no campeonato em cinco jogos e o terceiro do Náutico no jogo, o placar mostrava Náutico 3x0 Santos. Sem muito mais o árbitro acabou  a partida.


ANÁLISE DO JOGO

Sem duvidas o time foi bem, muito bem e voltou a mostrar o bom futebol de antes, jogou com raça e mesmo diante de um Santos desfalcado e atropelou. Dou parabéns a todos os jogadores que no geral atuaram bem, apenas Cléverson e Ramirez foram a baixo da média. Ótima estreia de Patric que mesmo mostrando não estar muito entrosado com o resto do grupo jogou bem e marcou um gol. Destaque para o criticado Kim que não era benquisto pela torcida e pela imprensa e ontem com um golaço e muita categoria mostrou de que é capaz e calou a boca de todos. E outro que merece todos os elogios foi o nosso Samurai Araújo que mesmo não marcando jogou muito e foi eleito pela torcida e pela crônica esportiva o melhor da rodada. Agora é focar no Inter quarta feira e buscar pontos fora, coisa que o Náutico não faz muito.

Estádio: Aflitos (Recife-PE)

Árbitro: Wilton Pereira Sampaio-GO
Assistentes: Dibert Pedrosa Moisés-RJ Evandro Gomes Ferreira-GO
Gols: Patric (Náutico, aos 14 do 2T), Kim (Náutico, aos 35 do 2T) e Kieza (Náutico, aos 46 do 2T)
Cartões amarelos: Ronaldo Alves, Kieza (Náutico)
Público: 12.266
Renda: R$ 197.395 

Náutico 3
Gideão; Patric, Ronaldo Alves, Marlon e Douglas (Lúcio); Elicarlos, Martinez,Souza (Ramirez), Cleverson (Kim); Araújo e Kieza.Técnico: Alexandre Gallo

Santos 0
Aranha; Bruno Peres, Durval, Bruno Rodrigo e Léo; Pedro Castro (Juan),
Henrique, Leandrinho (Dimba), Felipe Anderson, Bill e Victor Andrade (Miralles).

Técnico: Muricy Ramalho
quinta-feira, 26 de julho de 2012

O zagueiro Márcio Rosário e o Volante Glaydson não fazem parte dos planos do técnico Alexandre Gallo e estão fora do Náutico.

Não é de hoje a insatisfação da torcida com os jogadores, desde o inicio do campeonato que ambos não vem mostrando a qualidade esperada. Márcio Rosário atual em boa parte dos jogos do Náutico nessa série A e em nenhuma agradou o jogador já teve duas expulsões, marcou gol contra e teve inúmeras falhas capitais. Por essas e outras ganhou o ódio da torcida e a  insatisfação da diretoria que o leva a ser dispensado do Náutico.
O volante Glaydson teve poucas oportunidades no time alvirrubro, mas nas que teve não demonstrou uma boa atuação, sem velocidade quase sem tocar na bola sem apoiar a marcação nem realizar ligação com o ataque o jogador passou sem destaque em todos os jogos que entrou nessa série A, não fazendo por onde honrar o salário gordo que recebia assim como Márcio Rosário. Por essas e por outras que ambos estão fora do Náutico.





Mais uma noite para se esquecer.  O time tropeçou em seus próprios erros e perdeu não para o Coritiba e sim para si mesmo. Diante de um publico de pouco mais de 12.000 pessoas o Náutico se mostrou falho e perdeu de virada por 3x4.

O JOGO:

Depois da derrota elástica por 3 a 0 para o Palmeiras o Náutico entrou em campo na noite da última quarta para enfrentar o Coxa, na espera de se reabilitar. Por outro lado o Coxa veio de um empate suado contra o Bahia em Pituaçú e queria arrancar pontos do Náutico nos Aflitos.


O jogo começou movimentado e o Coxa dominando os minutos iniciais, tanto que teve a chance de abrir o placar logo nos 5 minutos iniciais e para piorar o Náutico sofre uma baixa logo no inicio Jean Rolt se machuca numa dividida e tem que ser substituído por Márcio Rosário. Mas o Náutico era rápido no contra ataque e depois de uma cobrança de escanteio de Lúcio a bola cai no pé de Souza que sem dominar chuta e abre o placar para o Náutico aos 13 minutos. Mas na saída do Coxa o Náutico ainda parecia estar comemorando e a defesa vacilou Robinho passou sozinho e chutou pro fundo das redes empatando o jogo aos 15 minutos. E os gols não paravam dois minutos após o empate do Coxa Rhayner toca de Calcanhar para Kieza que da um chutaço a bola bate na trave entra aos 17 minutos o Náutico voltou a frente no placar. O jogo continuou bom o Coritiba partiu para cima e tiveram boas chances o Náutico esteve perto do terceiro gol numa cobrança de falta de Souza que parou na trave e muito movimentado e com o Coxa na pressão o primeiro tempo acabou.


Começa a segunda etapa e repetiram-se os erros logo com 1 minuto do segundo tempo Leonardo vê Felipe adiantado e chuta empatando o jogo para o Coxa. E daí pra frente foi só agonia o Coritiba pressionava e Alessandro tirou da linha. E Coxa seguia pressionando e após cobrança de escanteio Felipe sai muito mal e Alessandro tira, mas dessa vez foi com a mão, o árbitro marca pênalti e consequentemente Alessandro é expulso. Leonardo cobra e vira o jogo para o time paranaense, dai em diante foi agonia total Gallo faz duas mudanças põe Rico e João Paulo para a saída de Ramirez e Araújo o Náutico vem mais ofensivo e chega até a pressionar e levar perigo, mas cada subida do Coxa era um desespero só e aos 32 pereira subiu  sozinho e de cabeça fez o quarto gol do Coxa, matando praticamente o jogo e as esperanças alvirrubras. O Náutico a essa altura teve de ser só ataque e  aos 40 minutos num bate rebate na área Rico o estreante da noite vira e chuta fazendo o terceiro gol Timbu. O jogo teve seus últimos minutos de tensão o Náutico partiu para o ataque, mas sem êxito até que aos 48 o árbitro acaba o jogo Náutico 3x4 Coritiba.


ANÁLISE DO JOGO:

Mais um jogo em que o ataque é eficiente, mas a defesa é medíocre. Tomamos 4 gols sendo 3 deles com falhas visíveis da defesa, falhas inadmissíveis numa série A. Tivemos o azar da Saída de  Jean Rolt logo com 3 minutos de jogo para a entrada do horrível Márcio Rosário que mais uma vez falhou muito e contou com ajuda de Ronaldo Alves e Felipe para entregar o jogo. Mais uma vez Araújo apagado, Souza voltou a mostrar um bom futebol fez gol e botou uma cobrança de falta na trave, Rico fez boa estreia mesmo tendo jogado pouco tempo, fez boas jogados uma onde Rhayner perdeu um gol de cara e conseguiu também marcar um gol. Alessandro salvou o Náutico enquanto pode e na pressão do jogo acabou defendendo uma bola e sendo expulso, oque complicou muito a vida do Náutico. Felipe um goleirinho fraco, não sabe sair numa bola e vive mal posicionado.

Ficha do jogo

Náutico 3
Felipe; Alessandro, Jean Rolt (Márcio Rosário), Ronaldo Alves e Lúcio; Elicarlos, Ramirez (Rico) e Souza; Rhayner, Kieza e Araújo (João Paulo).
Técnico: Alexandre Gallo.

Coritiba 4Vanderlei; Ayrton, Demerson, Pereira e Lucas Mendes; Willian, Júnior Urso (Lincon), Sérgio Manoel e Robinho; Leonardo (Roberto) e Everton Costa.
Técnico: Marcelo Oliveira.

Local: Aflitos. Árbitro: Claudio Francisco Lima e Silva (SE). Assistentes: Alessandro A. Rocha de Matos (BA) e Cleriston Clay Barreto Rios (SE). Gols: Souza, Kieza e Rico (N); Robinho, Leonardo (2) e Pereira (C). Cartões amarelos: Elicarlos (N); Júnior Urso, Lucas Mendes e Demerson (C). Cartão vermelho: Alessandro (N). Público: 12.663. Renda: R$ 205.525,00
terça-feira, 24 de julho de 2012

O Náutico segue se reforçando para a disputa do campeonato brasileiro, e o gerente de futebol Carlos Kila que já havia prometido a contratação de mais 4 reforços, anuncia a chegada do primeiro, trata-se do jovem lateral direito Patric, que mesmo com apenas 23 anos já tem um bom currículo, com passagens pelos grandes do Brasil como Cruzeiro e Atlético Mineiro, como também pela Europa onde defendeu o Benfica de Portugal.O jogador também já vestiu a camisa da seleção brasileira sub 20.
O jogador chega a Recife na próxima quinta feira para assinar contrato e fica a merce do técnico Alexandre Gallo. É bom ressaltar que Patric chegou a disputar algumas partidas como titular pela equipe do Avaí pela série B 2012. 
Segundo o gerente de futebol alvirrubro Carlos Kila, o Náutico ainda irá trazer mais 3 reforços um zagueiro, um meia e um volante.


Golaço marcado por Patric contra o América-MG


Ficha do atleta:


Nome: Patric Cabral Lalau
Idade: 23 anos
Naturalidade: Criciúma (SC)
Altura: 1.72m
Peso: 71 kg
Clubes com passagens: Avaí, Ponte Preta, Atlético Mineiro, Benfica, Cruzeiro, São Caetano e Criciúma.


segunda-feira, 23 de julho de 2012



Esse é Ídolo e merece todo o nosso respeito. Mesmo tendo sido 3 vezes Campeão brasileiro pelo São Paulo, campeão pelo Fluminense e pelo Santos, ele não esquece suas origens e do time que o projetou. E ontem no programa de Frente com Gabi, ao ser perguntado sobre qual era o seu time do coração, vejam oque ele respondeu.



Valeu Muricy!!!



                                        Assista a parte da entrevista que Muricy fala do Náutico


Ele veio para o Náutico, num dos piores momentos de nossa história, estávamos afogados em dividas, havíamos retornado da série C a pouco tempo, o clube viva um momento muito delicado, amargávamos 12 anos sem títulos. E o até então desconhecido Muricy Ramalho, veio para assumir esse barco e com muito sacrifício e empenho, levou o clube ao bi-campeonato pernambucano e ascendeu uma chama no coração do torcedor Timbu, que soube que após a sua chegada e a conquistas, ventos melhores estavam por vir. 

domingo, 22 de julho de 2012


O Náutico entrou em campo na Arena Barueri embalado pelo ótimo resultado diante da Ponte, mas o time foi irreconhecível, mesmo com os 3 desfalques do Náutico na partida o zagueiro Ronaldo Alves e os volantes Martinez e Souza, esperava-se mais do resto da equipe, que decepcionou o torcedor, salvo algumas exceções como Cléverson, João Paulo e Ramirez.


O Náutico entrou em campo com uma escalação diferente da habitual, jogando com 3 zagueiros e teoricamente 3 atacantes, pois Araújo jogou como meia, porém a equipe teve uma atuação desastrosa, muitos erros de passes, de criação de armação e de marcação, além dos erros individuais que acarretaram muitos ataques Palmeirenses. A partida começou movimentada com o Palmeiras indo para cima e dando trabalho ao Náutico e marcou logo aos 18 minutos com Obina, depois disso o Náutico foi para cima e teve uma boa sequencia no ataque, com 5 cobranças de escanteio seguidas, e 3 grandes defesas do goleiro Bruno, mas foi só e ainda no primeiro tempo o palmeiras ampliou o placar com Mazinho,  o Náutico continuou se segurando e sem poder ofensivo durante toda a primeira etapa.


No segundo tempo o Náutico voltou com mudanças Lúcio que havia recebido amarelo no primeiro tempo e Gustavo que não fez um bom primeiro tempo (assim como o time todo) foram substituídos por João Paulo e Ramirez, o time até começou tocando mais a bola tentando avanças mas numa falha individual de Alessandro na saída de bola, Obina avança e chuta pro gol a bola vai no travessão e sobra no pé de Márcio Araújo que manda nas redes e faz 3x0 para o Porco. Assim pouco mais podia ser feito o time estava mal, a zaga fez uma partida penosa  e no decorrer do jogo na tentativa de dar mais movimentação ao time, Gallo sacou Rhayner e botou Cléverson, que assim como João Paulo fizeram uma excelente partida. A bola não chegava ao ataque, Araújo sacrificado não acertava as bolas que tocava Kieza sem ligação dificilmente conseguia criar jogadas a não ser no fim do jogo onde sofreu falta na área que o árbitro não marcou, no mais o Palmeiras foi ao ataque, mas esbarrou na defesa do Náutico e assim o jogo se encerrou com o placar mostrando Palmeiras 3x0 Náutico.

COMENTÁRIO DO JOGO:

Sem duvida a pior partida do Náutico até agora, o time pareceu sem alma, não teve garra, errou muito os jogadores mais experientes, pareciam inseguros, faltou o homem de ligação e a escalação de Gallo colocando Araújo de meia e Rhayner no ataque. Alessandro e Lúcio muito mal, eles não se encontravam em campo erravam muito e pareciam nervosos com a bola no pé. A zaga mesmo sendo quase toda reserva foi muito mal. O Náutico sentiu as ausências de Souza, Martinez e Ronaldo Alves, porém falta um jogador no meio campo, alguém que faça  a ligação com o ataque e evite a situação em que Kieza passou hoje.


Ficha do jogo

Palmeiras 3

Bruno; Cicinho (Arthur), Welington, Leandro Amaro e Juninho; Henrique, Márcio Araújo, João Vitor e Valdívia(Daniel Carvalho); Mazinho e Obina (Betinho).
Técnico: Luiz Felipe Scolari

Náutico 0Felipe; Márcio Rosário, Jean Rolt e Gustavo (Ramirez); Alessandro, Elicarlos, Glaydson e Lúcio (João Paulo); Rhayner (Cléverson) Araújo e Kieza.
Técnico: Alexandre Gallo.

Local: Arena Barueri, em Barueri. Árbitro: Edivaldo Elias da Silva (PR). Assistentes: José Carlos Dias Passos (PR) e Ivan Carlos Bohn (PR). Gols: Obina, Mazinho e Márcio Araújo (P). Cartões amarelos: Cicinho (P); Lúcio (N). Público: 7.407. Renda: R$ 254.860.
quinta-feira, 19 de julho de 2012

O Náutico entrou em campo na noite da ultima quarta-feira nos Aflitos  diante de pouco mais de 12.600 torcedores para enfrentar a embalada Ponte Preta, que veio de uma goleada sobre o atual vice-campeão da Copa do Brasil. Por outro lado o Náutico vinha de derrota para o atual Campeão da Libertadores por 2x1 onde apresentou um ótimo futebol e a reestreia de Kieza motivava ainda mais a torcida e a esperança de gols. E que reestreia Kieza marcou duas vezes e Souza uma e o Náutico conseguiu somar  sua quarta vitória na série A 2012.


O JOGO

A Partida começou bem movimentada a bola era muito trabalhada e logo nos minutos iniciais a Ponte se mostrava determinada a atacar e teve logo uma boa chance de marcar, que foi para nas mãos de Felipe. O Náutico jogava nos contra-ataques com muita velocidade Martinez, Souza, Rhayner e Elicarlos estavam bem atentos e fazendo a ligação com o ataque, mas foi de Elicarlos o primeiro lance de perigo alvirrubro, ele recebeu um bom passe de traz e chutou na entrada da grande área rasteirinho e Edson Bastos fez uma ótima defesa mandando para escanteio.  O jogo continuou muito movimentado a Ponte subia ao ataque, mas sem muito perigo, á o Náutico jogava sempre no veloz contra-ataque e aos 36 minutos brilhou a estrela do craque KIEZA, Rhayner recebeu a bola limpou do zagueiro da Ponte deixando-o no chão e chutou Edson Bastos largou a bola nos pés de KIEZA que chutou para o fundo das redes, deixando a torcida alvirrubra em êxtase. Sem muitas outras chances o primeiro tempo se encerra.


No segundo tempo o Náutico voltou já com mudança, Martinez sentiu dores e foi substituído por Ramirez, mas o Timbu voltou com o mesmo ímpeto, porém com desatenção nos minutos iniciais da segunda etapa e Nikão chegou livre na cara de Felipe, mas isolou, o Náutico acordou para o jogo e começou a por a bola no chão e jogar com mais velocidade e não demorou muito até que a postura desse resultado, KIEZA vê Souza passando só  e toca para o volante que dá um chute com muito efeito a bola quica no chão engana Edson Bastos e entra, Souza quebra jejum e faz o seu primeiro no Náutico na série A e o segundo do Timbu na partida aos 15 do  segundo tempo, daí pra frente foi mais fácil a Ponte atacava mas sem muito perigo, Felipe ainda fez umas duas boas defesas, mas o contra-ataque do Náutico era arrasador e dava muito trabalho a defesa da Macaca, jogo seguia bom Rhayner fez jogadaça driblou todo mundo mas esbarrou em Edson Bastos, KIEZA marcou mas estava impedido, jogo continuo movimentado, o Náutico na pressão até que aos 42 Rhayner na lateral vê KIEZA sozinho na área e toca para o artilheiro que sem sair do lugar mete um chutaço de primeira e fecha o caixão da Ponte. Os minutos finais foram só pra administrar e aos 47 o árbitro que teve uma atuação horrível encerra o jogo, Náutico 3x0 Ponte Preta.

Assista aos melhores momentos da vitória do Náutico


ANÁLISE DO JOGO

Sem duvida uma partida excelente, sem muitos erros, time se mostrou entrosado e muito bem taticamente, me espantou o entrosamento no ataque entre Rhayner e Kieza que jogaram uma bola cheia e sem duvida foram os dois melhores em campo. Boa estreia de João Paulo mostrou estar a altura para substituir Lúcio, Alessandro também jogou muito bem, Elicarlos foi peça chave no meio campo, Ramirez substituiu bem Martinez dentro de suas limitações claro, e KIEZA dispensa comentários jogou muito fez dois gols, e sem duvida era a peça que faltava ao elenco Timbu, o matador o homem de área e que sabe fazer gols. Toda equipe Timbu de parabéns e Gallo também pela postura que montou o time e pelas substituições. Mais uma vez jogamos um bom futebol digno de série A e vencemos, agora é foco no Palmeiras e rumo a segunda vitória fora de casa nesse brasileirão.

Ficha do jogo

Náutico 3
Felipe; Alessandro (Douglas), Ronaldo Alves, Jean Rolt e João Paulo; Elicarlos, Martinez (Ramirez) e Souza; Rhayner, Araújo (Cléverson) e Kieza.
Técnico: Alexandre Gallo.

Ponte Preta 0Edson Bastos; Gerônimo (Cicinho), Thiago Alves, Ferron e João Paulo; Baraka, Renê Júnior, Ricardinho (Somália) e Nikão; André Luis (Marcinho) e Roger.
Técnico: Gilson Kleina.

Local: Aflitos, no Recife. Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ-Fifa). Assistentes: Rodrigo Pereira Joia (RJ-Fifa) e Carolina Romanholi Melo (CE). Gols: Kieza (2) e Souza (N); Cartões amarelos: Ronaldo Alves, Kieza e Ramirez (N); Thiago Alves e Ferron (PP). Público: 12.605 Renda: R$ 92.800


domingo, 15 de julho de 2012


O Náutico entrou em campo na noite do ultimo sábado 14/07 para enfrentar o Corinthians atual campeão da Libertadores, com a missão de defender um tabu de 20 anos de invencibilidade. O time escalado por Gallo entrou em campo num esquema inusitado o 2-5-3 com Kim, Araújo e Rhayner na frente foi um bom esquema e a postura adotada pelo time fez com que jogasse sem temer o adversário, o Náutico não tomou conhecimento do Corinthians e jogou de igual para igual.
Um jogo muito movimentado, e aberto todo o tempo, o Náutico partiu para cima nos minutos iniciais, tanto que nos primeiros 4 minutos de jogo conseguiu 5 escanteios seguidos. Pressionando e criando boas jogadas houve momentos de superioridade alvirrubra, o Corinthians era bom nos contra-ataques e assustou por algumas vezes o gol de Felipe, mas nada que fosse de muito perigo, de tanto tentar uma hora aconteceu, aos 20 minutos do primeiro tempo o Náutico vai tocando a bola e na entrada da grande área Elicarlos toca o zagueiro afasta errado nas pernas de Eli que avança e bate fazendo Corinthians 0x1 Náutico.
Mas como é sabido o futebol não permite vacilo e logo no lance seguinte na Saída de bola do Corinthians o Náutico perde a bola e Danilo recebe um ótimo cruzamento sozinho na área e dá um belo chute empatando o jogo logo um minuto depois. O primeiro tempo continuou movimentado com os dois times pra frente, mas a primeira etapa acabou no 1 a1.


No segundo tempo as equipes voltaram iguais, e com o mesmo objetivo o de ficar na frente, mas o Náutico caiu de produção e em mais uma desatenção da defesa logo aos 4 minutos Danilo aparece e faz o segundo do Corinthians de virada. Banho de água fria nos planos do Timbu, o Náutico continuou tentando atacar e teve alguns bons momentos em chutes e cruzamentos na área, Araújo até chegou a marcar, mas estava em posição irregular por outro lado, falhas seguidas da defesa acarretavam em muito perigo nos lances do Corinthians Felipe teve muito trabalho no segundo tempo e realizou grandes defesas, o Náutico voltou a reagir no fim do jogo com uma pressão nos 7 minutos finais e o principal lance foi uma bola que Romero botou na trave, sem muito mais o jogo acabou. Corinthians 2x1 Náutico.


Mais uma vez o Náutico jogou bem, não temeu nem respeitou de mais o adversário, jogou de igual para igual com o atual Campeão da Libertadores. Tropeçamos em nossas falhas, mas também na superioridade técnica do Corinthians que suou para conseguir a vitória. Mas fico feliz com a atuação de modo geral, vi um time com postura com dignidade  com cara de time grande e jogando como tal, precisamos sim melhoras e bastante, precisamos de zagueiros de nível de série A de um meia de peso para guiar nosso time ao ataque, mas Gallo falou que o Náutico vai contratar, fora isso o time esta de parabéns  teve uma boa postura e mesmo com a derrota deu gosto de ver a crescente da nossa equipe.

Ficha do jogo

Corinthians 2

Cássio; Wender, Chicão, Paulo André e Fábio Santos; Ralf, Paulinho, Alex (Douglas)e Danilo; Romarinho (Edenilson) e Emerson. 
Técnico: Tite.

Náutico 1

Felipe; Alessandro (Glaydson), Ronaldo Alves, Jean Rolt e Lúcio; Elicarlos, Martinez (Breitner ) e Souza; Araújo, Rhayner e Kim (Romero). 
Técnico: Alexandre Gallo.

Local: Estádio Pacaembu. Árbitro: Márcio Eustáquio (MG-Fifa). Assistentes: Paulo César Faria (MT) e Leandro Marinho (SP). Gols: Danilo (2) (C); Elicarlos (N). Cartões amarelos: Emerson, (C); Martinez, Elicarlos e Lúcio (N). Público: 25.656. Renda: R$ 735.470,00

segunda-feira, 9 de julho de 2012

São 111 anos de história e ao longo de todo este tempo  nosso clube viveu áureos momentos. E foi na década de 1960 que o Náutico viveu seus maiores anos de glória, era tido como um dos 3 maiores clubes do país ao lado de Santos e Palmeiras. Foi nessa década que conquistamos nossos maiores feitos e que orgulham até hoje nossa torcida, foi a década do Hexa do vice-campeonato brasileiro (1967) foi a década da nossa participação na Libertadores e foi também a de alguns dos mais memoráveis jogos de toda nossa história. E é um desses jogos que o post homenageia, poderia ser da celebre final de 1967 contra o Palmeiras ou o jogo contra o Sport em 1968 nos Aflitos com mais de 31 Mil pessoas o jogo do Hexa,  mas não, o jogo o qual dedico esse post é o que muitos dizem ter sido o maior jogo de nossa história, um jogo que ficou eternizado na memoria e em raríssimas fotos  o jogo em que o poderoso Santos de Pelé se rendeu diante do time de conselheiro Rosa e Silva, foi a partida valida pela semifinal da taça Brasil de 1966 o segundo jogo de uma melhor de 3, partida realizada no estádio do Pacaembu-SP onde o Náutico venceu oque na época era o melhor time do Mundo por 3x5 com 4 gols de Bita, Gilmar goleiro do santos na época e da seleção brasileira, nunca havia tomado mais de 2 gols de um mesmo jogador numa partida, e só de Bita ele tomou 4.

O jogo

16 de novembro de 1966. Talvez a maior atuação de uma equipe do Náutico e de Pernambuco na história. Diante da representação alvirrubra uma equipe mítica: O Santos de Pelé nas semifinais da Taça Brasil. 

Para os mais jovens é difícil descrever o poderio do Santos. A sua chegada nas principais capitais do mundo só tinha paralelo na época com a chegada dos Beatles. Pelé rivalizava com John Lennon e Paul McCartney como a personalidade mais conhecida na Terra. 

O Santos era pentacampeão brasileiro e rumava para o Hexa. Na Libertadores e no Campeonato Mundial, Boca Juniors, Peñarol, Benfica e Milan ficaram de joelhos ante as camisas brancas de Vila Belmiro. 

De vez em quando, apenas uma equipe sobressaía sobre o time do Rei: O Palmeiras. Quando o Náutico eliminou o Palmeiras nas quartas-de-final, o país imaginou que o resto do campeonato era mero cumprimento de tabela. Não foi. 

Esqueceram-se de avisar Silvio Tasso Lasalvia. A torcida o conhecia como Bita. Gilmar, o goleiro do Santos e da seleção jamais o esqueceria. 

O Timbu sob a direção de Duque formou com Aloísio Linhares; Gena, Mauro, Fraga e Clóvis; Zé Carlos e Gilson Costa; Ivan, Miruca, Bita e Nino. O Santos vinha com Gilmar, Pelé, Pelé, Pelé e Toninho Guerreiro. Aliás, os dois artilheiros da Taça Brasil de 66, Bita e Toninho jogaram uma enormidade. 

A bola rolou. Bita fez 1x0. Pelé chutou na trave. Toninho Guerreiro empatou. Bita desempatou no final do primeiro tempo: 2x1. 

Os radialistas gritavam que era só uma questão de tempo. Mas os palmeirenses, silenciosos em suas casas, pareciam antever a mesma tempestade de gols que causou a expulsão do divino Ademir da Guia em Recife. 

As equipes retornaram para o segundo tempo. O Náutico marcou, o Santos reagiu, Bita aumentou, Toninho diminuiu e prosseguiram assim até o final do jogo como dois boxeadores de peso galo. O juiz Armando Marques ameaçou expulsar Pelé que não entendia o que estava se passando. Parecia que o maior time do mundo era pernambucano. 3x1. 3x2. 4x2. 4x3. 5x3! 

Meia-noite. A noite do Recife é longa. Nos jornais, as manchetes já prontas começam a ser reescritas. Fogos acordam a cidade. Gilmar declara aos jornais que nunca alguém tinha marcado quatro gols nele em toda sua vida de goleiro. 

Anos depois, no programa Cartão Verde da TV Cultura, perguntaram ao Rei Pelé quais os maiores times que ele conhecera. Sua resposta relembra aquela noite de novembro em São Paulo: 

“O Palmeiras de Ademir, o Cruzeiro de Tostão... e o Náutico!” 

Fonte: http://forum.fmanager.com.br



domingo, 8 de julho de 2012

Depois de ter obtido dois resultados negativos, sendo uma goleada e uma derrota em casa, o Náutico entrou em campo no estádio Serra Dourada para enfrentar o lanterna do campeonato o Atlético-GO.  E oque os 2.048 torcedores que estavam no estádio viram, foi um jogo em que durante quase todo o tempo apenas um time jogou.


Assista aos melhores momentos do jogo

Mesmo com o Náutico jogando com uma postura tática e escalação diferente, pois Gallo optou por escalar o time no 3-5-2 com Ronaldo Alves, Jean Rolt e Márcio Rosário na zaga e Rhayner e Araújo no ataque, o time continuou com postura ofensiva partindo pra cima e encurralando o frágil time do Atlético-GO, que durante a maior parte do jogo viu apenas o Náutico jogar e dominar as ações da partida e viu também a estrela de um velho carrasco da torcida Atleticana brilhar, a de Araújo que já foi ídolo do rival Goiás e que atualmente joga pelo alvirrubro de Rosa e Silva e que foi o autor do gol da vitória alvirrubra e que afunda ainda mais o Dragão goiano.
Foi um jogo de pressão total do Náutico, tanto que  com menos de 1 minuto de jogo já houve um lance de perigo, em que Alessandro levou a bola na lateral da pequena área e chutou pra fora, o time atleticano não se encontrava em campo, não tinha domínio de bola nem ofensividade para criar jogadas, e o seu principal jogador o atacante Felipe ex Náutico não estava numa noite inspirada, por isso o goleiro Felipe do Náutico não trabalhou durante a primeira etapa, mas o goleiro Márcio do Atlético si, foram algumas boas defesas dele que não fizeram o placar ser elástico, mas num lance aos 36 minutos em que após uma boa movimentação de bola no meio campo Lúcio cruza bola na área direto na cabeça de Araújo que de frente pro gol fuzila e faz Atlético-GO 0x1 Náutico. Araújo também perdeu outro gol incrível no primeiro tempo.



No segundo tempo,  os time voltaram com objetivos diferentes, o Náutico buscava jogar mais fechado e procurar os contra-ataques, já o Atlético buscava ir para cima tanto que no intervalo o time de Goiás trocou um zagueiro por um atacante. Até que surtiu efeito o time de Goiás foi mais ofensivo e até fez Felipe trabalhar um pouco, mas nada que fosse de muito perigo, salvo uma bola que Alessandro tirou na linha do gol. O Náutico fez as substituições ao decorrer do jogo, Ronaldo Alves precisou sair por contusão e Gallo optou por tirar Souza para por Breitner e Cléverson entrou no lugar de Rhayner, assim o jogo se encaminhou até o final e o Timbu conseguiu vencer a primeira fora de seus domínios.


O Náutico jogou bem, mas infelizmente pesou a falta de gols que dessa vez não interferiu no resultado. Destaco as atuações de Araújo que mais uma vez decidiu  o jogo, de Alessandro e Lúcio que brilharam nas suas laterais, do estreante Jean Rolt que fez uma boa atuação e de Martinez sempre discreto mais é um maestro para o time.

Mais uma vez Souza não jogou bem, apático e sem mira alguma. Márcio Rosário, não sei como um cara desses joga em clube da série A, ele não deveria estra nem na série C, pense num cara ruim, nervoso, ansioso, afobado e sem técnica alguma.

Tradutor

Google-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish

Responsável

Carlos Walfrido
Estudante, blogueiro e apaixonado pelo Clube Náutico Capibaribe.
Visualizar meu perfil completo

Contato

nacaoalvirrubra_cnc
@hotmail.com

Visitantes

Seguidores

Facebook